Notícias

10h14

6 malefícios de uma noite mal dormida

Depois de ler este texto, você nunca mais negligenciará o sono.

Compartilhe
Tamanho do Texto
6 malefícios de uma noite mal dormida

São inúmeros os motivos que tiram nosso sono. Tem gente que não dorme por conta das preocupações do dia a dia; há aqueles que optam pela noitada em detrimento do descanso físico; existe quem não consiga pregar os olhos quando divide o colchão com outra pessoa; e, claro, não podemos esquecer dos indivíduos que viram a madrugada trabalhando. Mas o resultado é sempre o mesmo: baixo rendimento no dia seguinte. Isso quando as consequências não nos deixam aptos a conseguir um bico em algum episódio de The Walking Dead.

É inegável que uma noite mal dormida é maléfica à saúde – mas talvez os malefícios sejam ainda maiores do que imaginamos. Então vamos citar alguns pontos negativos da falta de sono para termos a certeza (ou nos lembrarmos) de que uma noite bem dormida deve ser prioridade em nossas vidas.

1# Alteração de humor
Antes de acusar a TPM pelo grito que tomou na orelha da companheira, verifique se ela dormiu direito. O neurologista e epecialista do sono Dr. Shigueo Tonekura esclarece no site do Instituto do Sono, “Quando uma pessoa se priva do sono, tem insônia ou acorda várias vezes à noite, seu corpo descarrega noradrenalina, que mexe com todo o resto. Aumenta a frequência cardíaca e a respiração. O organismo fica alerta quando deveria descansar. Esse desgaste afeta o humor, causa irritação”.

2# Deficit de atenção, memória e raciocínio
Diversos estudos já falaram sobre a importância de um bom sono para manter o funcionamento intelectual em condições ideais. As pesquisas relacionando noites bem dormidas e desempenho escolar são incontáveis. No entanto, sabemos que a falta de atenção e memória falha podem estender seus prejuízos para muito além dos muros escolares. “Quem dorme mal, pode mostrar-se mais irritado e com menor capacidade de concentração durante o dia, o que vai incidir diretamente na memória”, é o que diz a neuropsicóloga Camila Prade, do Centro de Reabilitação do Hospital Albert Einstein.

3# Baixo rendimento imunológico
Um experimento apoiado pela FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) realizou uma experiência com 30 adultos para verificar quais os efeitos da falta de sono no sistema imunológico. Verificou-se uma elevação no número de leucócitos dos indivíduos que participavam do grupo que tiveram o sono privado, revelando uma queda imunológica. A principal autora do estudo Francieli Ruiz da Silva disse à Fundação: “considerando que os leucócitos desempenham a função de defesa ao primeiro sinal de invasão por patógenos, observamos que a privação total do sono desencadeou um sinal de alerta no organismo. Ele entendeu como um agressão e respondeu a um fantasma”.

4# Obesidade e diabetes
Um estudo realizado em 2012 por pesquisadores da Harvard Medical School e do Brigham and Women’s Hospital observou que a “interrupção prolongada do sono e do ciclo circardiano alterou o metabolismo dos indivíduos e pode aumentar o risco de obesidade e diabetes”. Uma revisão de estudos mostrou que o motivo disso pode ser a relação entre grelina (hormônio que estimula a fome) e leptina (hormônio que controla a fome) ao sono – sendo que a razão entre primeira e segunda aumenta com a ausência do descanso físico.

5# Hipertensão e doença do coração
A falta de uma noite bem dormida pode ser mesmo perigoso. Uma reportagem da Veja revelou uma publicação do revista Sleep assustadora: quem dorme mal tem cinco vezes mais probabilidade de desenvolver um quadro de pressão alta do que uma pessoa sem problema para dormir. O que explica isso é o fato de que o cortisol, a adrenalina e a noradrenalina, hormônios liberados quando o sono é inadequado, contraem os vasos sanguíneos, efeito que promove a pressão arterial. Além disso, as “noites mal dormidas podem alterar os impulsos elétricos que regulam os batimentos do coração”.

6# Prejudica o sexo
Segundo a professora do Departamento de Psicobiologia e integrante do Instituto do Sono Monica Andersen, em entrevista à Agencia FAPESP, “uma das conclusões [de um estudo liderado por ela] é que quem dorme mal tem risco três vezes maior de apresentar disfunção erétil. Uma das causas é que a privação de sono reduz a testosterona, o hormônio sexual masculino”.

Se você quer fugir de qualquer um desses problemas, o site do Instituto do Sono oferece 10 dicas que te ajudarão a dormir:

01) Ter horários regulares para dormir e despertar
02) Ir para a cama somente na hora de dormir
03) Ter um ambiente de dormir adequado: limpo, escuro, sem ruídos e confortável
04) Não fazer uso de álcool ou café, determinados chás e refrigerantes próximo ao horário de dormir
05) Não fazer uso de medicamentos para dormir sem orientação médica
06) Se tiver dormido pouco nas noites anteriores, evite dormir durante o dia
07) Jantar moderadamente em horário regular e adequado
08) Não levar problemas para a cama
09) Realizar atividades repousantes e relaxantes preparatórias para o sono
10) Ser ativo física e mentalmente

Compartilhe
Tamanho do Texto
O que achou disso? Comente aqui.
Rede Alpha Fitness
Parceiros:
Via Sono
Powerade
2014 - 2017. Rede Alpha Fitness. Todos os direitos reservados.
Produzido por: Click Interativo | Agência Digital